Covarde Cidadão

ó covarde cidadão, te chamei a atenção, e não foi a toa não.

Acorda cedo todo dia, vai trabalhar na olaria, e abaixa a orelha em vão.

Quando no almoço reclama, reclama, diz que a situação não está fácil, que o governo é corrupto, mas na luta diz não.

És engrenagem do sistema, és mola da máquina, é passivo da revolução.

 

Quando a noite já cansado, o salário acabado, o vale, terminado, você reclama em vão

Você cidadão é covarde, porque na hora da luta, você disse não.

Vai esperar tapa na cara? Vai esperar na fila do hospital? Vai esperar que casa inunde e que ninguém te ajude?

Roubaram teu dinheiro, INSS, IR e IPVA e o que recebeu em troca?

 

Cidadão brasileiro, se orgulha que tem festa o dia inteiro, mas se acomoda em troca de favores, em troca de dinheiro

Você cidadão brasileiro, é covarde cidadão, é conivente de sua tragédia, é escravo de seu quinhão

Quando acorda veste a mascara, quando trabalha é vétima, mas na luta você diz não

Sim, és covarde cidadão.

Anúncios

Sociedade Carro-Cocaína

Imagem

 

“Estamos na sociedade carro-cocaína, precisamos marchar na contra-mão rumo a sociedade bicicleta-maconha”

Ao contrário do que parece não estou fazendo uma apologia quanto ao consumo das drogas em questão, ou então afirmando que, as pessoas de determinado uso veicular façam o uso de determinada substância ilícita, mas o binômio apresentado representa de certa forma os paradigmas estruturais referentes aos rumos sinérgicos de nossa sociedade atual.

Os valores dados ao mais rápido, mais eficiente, mais dinâmico, mais forte, sem pensar em suas consequencias a longo prazo são polarizantes de uma cultura onde a produção incessante, e a cultura do consumo constante é o norteador do comportamento dos centros familiares e da sociedade do consumo.

Temos dezenas de “balizadores” que atestam o fato, onde o valor do PIB é medido através do consumo incentivado, valor de produção ou crescimento da economia, não pensando que a degradação do meio ambiente é o resultado certo desse incentivo descontrolado ao acúmulo de riqueza.

Hoje temos a produção de alimentos polarizada em grandes empresas, o incentivo ao uso de carro como principal ferramenta de transporte (e valorizador de figura masculina dominante), e o incentivo a realização do melhor projeto no menor prazo em detrimento da qualidade de vida.

Qual é o resultado desse incentivo incessante que senão a decepção referente ao esgotamento desse modelo?

Por outro lado, um direcionamento rumo aos valores familiares referentes ao “apertar os freios” seria uma solução que embora pareça lógica, não é adotada. Esse comportamento deveria refletir-se em todos os meios: tornar a produção de alimentos mais centrada no produto familiar e artesanal, colocar a bicicleta como principal modal de locomoção de grandes cidades, e incentivar o desuso da televisão como forma de comunicação principal.

A familia brasileira precisa retomar o diálogo e o ensino pois enquanto seus pais encantam-se com novelas de valores duvidosos, seus filhos são educados a consumir inconscientemente o máximo possível os produtos apresentados e tornam-se sujeitos passivos da sociedade-consumo, abandonando o julgamento crítico e não tendo posição ativa, escolhendo devidamente seus representantes.

A casta política escravizadora mantém o povo nessa relação de pão-circo, onde a educação não prove votos, mas sim assistencialismo e a manutenção dessa relação devido ao lobby direto dos interessados nesse ciclo destrutivo, esses sim, já estão com o bolso cheio, mas querem sempre mais.

Melhor Diálogo do FDS

Love Lizards

– Quem era?

– Chuta.

( Pof )

– FiadaPuta!

Sou o filho da Raiva e do Amor…

Sobre o blog…
Primeiro post do blog, pode começar um pouco estranho, porque já tem um monte de coisas postadas ae embaixo. São os textos que eu havia escrito para o Cheirando Meia onde o objetivo era postar textos originais, imagens, análises, etc.

E o objetivo aqui não é muito diferente, pretendo escrever sobre assuntos variados e ao mesmo tempo tentando afastar o estigma de blog pessoal, aproximando-se somente de um simples reduto de observações do mundo do dia-a-dia. Embora essa tarefa não seja muito facil, sinceramente o objetivo real era só testar a ferramenta WordPress para a criação de blogs. Mas como me empolguei, vamos la ver o que dá…

Sobre o Título…

I'm the Son of Rage and Love é o o primeiro estrofe da música Jesus of Suburbia do cd American Idiot do Green Day, nenhum motivo em particular para usar o titulo, considero uma frase muito forte, afinal todos somos filhos do equilibrio desses dois extremos cabe a nós definir o qual ajudará as nossas tomadas de decisões a cada momento.

Sobre o Layout…

Se o layout do blog esta aparecendo distorcido para você, sinto muito, você provavelmente está usando o Internet Explorer, aconselho fortemente que você baixe agora o navegador Firefox, ele é simplesmente mais seguro, mais rápido, mais estável e tem mais funções do que a porcaria de navegador da Micro$oft. É ele que não segue os padrões da web deixando as paginas todas tortas.Então não perca tempo, clique no link abaixo e se livre dessa porcaria.

Get Firefox!

Por do Sol

Enrubrecido morre aquele que me aqueceu
Leva contigo os sonhos deste que já morreu
Espero a relva doce da minha cova ser sepulto
Olho a ti, como se não houvesse outro consolo no mundo
Parece-me triste, mas sou eu que não tardei a partir
No apogeu da minha vida, cometido fui de um ataque vil
Representei meu trabalho e é por isso que lhe falo pela ultima vez
Sol que já não tarda a partir, escuta-me e acalenta minha dor
De minha profissão, a hostilidade deveria combater
Sem piedade bandidos e ladrões deveria prender
Tornar o mundo mais são, para tu sol aquecer
Prendi ladrão perigoso que o nome não tardei de esquecer
Anos se passaram e a mim tu acompanhaste
Para meu inimigo esquecido mais quadrado rancores guardaste
E quando fostes ontem e me deixasse na escuridão
Deixei minha esposa em casa e meus filhos assistindo televisão
Passei por rua deserta fazendo inspeção de rotina
E na frente de um cemitério ocorrou a minha chacina
O homem que eu havia esquecido o nome já havia cumprido prisão
E em seus olhos vi a raiva, executada com uma pistola na mão
De sangue jorrou meu peito em três disparos certeiros
E a quem perdeu muitos dias de vida
Me tirou a vida inteira
Cai de joelhos com a vista alterada
Enquanto nas janelas senhoras curiosas observavam
Aquele que me atirou sumiu na escuridão
E uma mão me segurou, enquanto eu desfalecia ao chão
Passou-me neste momento tudo o que vivi
E uma certeza amargurada no peito de meu trabalho cumprido
Mesmo que minha alma fosse dada como partido
Agora neste caixão eu tento esquecer
A imagem da minha esposa, e a lágrima dos meus filhos correr
Só a tua imagem caro sol vem a me consolar
Morre todo final de dia, e em novo dia se põe a raiar
Mesmo que a ti não volte mais a ver
Cuida do que deixei de ti não esquecerei
Vou contigo por do sol, morte do meu viver

Escrito em 01/02/1999

Sindrome do Não-Estar

Apresento-lhes uma sindrome complexa, incurável, que aflinge a diversas pessoas ao redor do mundo. O sofredor desse mal não sabe que dele sofre, apenas "sente". Sente dor, saudade, angústia por um lugar, tempo ou espaço em que ele não está. A dor é leve, a saudade grande, e a angústia é progressiva. Não-Estar é o mesmo que se deixar passar em branco, pode-se estar bem em um lugar e ao mesmo tempo sentir vontade de estar em outro lugar, um beco de uma cidade onde ninguém passa. Será que quando ninguém passa pelo beco está acontecendo alguma coisa? Quantas coisas estão acontecendo nas entranhas de uma floresta fechada enquanto estamos conversando coisas fúteis? A normalidade da vida, simples, corriqueira, agonia que toma aos poucos, (o que estará se passando no meu quarto agora?). Mário Quintana já sofria desse mal, e o transcreveu no poema "O mapa" observe o trecho transcrito:

"Olho o mapa da cidade
Como quem examinasse
A anatomia de um corpo…

(E nem que fosse o meu corpo!)
Sinto uma dor infinita
Das ruas de Porto Alegre
Onde jamais passarei…

Ha tanta esquina esquisita,
Tanta nuança de paredes,
Ha tanta moça bonita
Nas ruas que não andei
(E ha uma rua encantada
Que nem em sonhos sonhei…) (…)"

A sindrome do não estar é atemporal, ou seja, você pode sentir falta de algum lugar que poderia ter estado, nesse caso, a angústia não é tão grande porque você não pode fazer mais nada para estar naquele lugar, mais o pior é quando sentimos (falo na primeira pessoa como sofredor do mal) falta de outro lugar que provavelmente nos agradaria, esta é a pior das dores, a agonia é tão grande que a cura só vem com uma presença acolhedora que nos preencha o vazio da alma.
Mais é sempre preciso caminhar, a angústia da espera resulta na felicidade do encontro, se não podemos estar em corpo, estejamos em espírito, sentir o que se passa em outro lugar, imaginar… fluir…
Somos escravos de nossa própria mente, liberá-la para viajar por outros lugares é como a abolição dessa escravidão.

A Economia do Elogio

Você já recebeu um elogio hoje? Você se lembra de como é bom receber um elogio? Todas as pessoas gostam de receber elogios, nada melhor do que um para o reconhecimento real de alguma coisa que você fez.
No mundo atual existe um problema muito grande, esse problema se refere a economia atual dos elogios! Acredite se quiser, isso existe! As pessoas gostam de receber elogios, no entanto, poucas o fazem para outras pessoas. Elogiar é uma ação que não traz mal nenhum a pessoa que a faz, pelo contrário, elogiar é uma maneira de estreitar relações de amizade. Hoje em dia estamos com o seguinte "deficit" de elogios, as pessoas esperam receber elogios por aquilo que merecem, porém, não os fazem à outras pessoas porque estão tristes por não terem recebido reconhecimento pelo que fizeram. Isso cria um ciclo vicioso, onde todo mundo é prejudicado. Podemos inverter essa situação!
Vai uma historinha: Uma certa vez um professor de segundo grau, nos desafiou a fazer 5 elogios por dia a diversas pessoas pelo reconhecimento de alguma coisa, durante 1 mês. Proponho o mesmo desafio ao leitor desse texto fazer os 5 elogios diários, vale tudo, elogiar a mãe de como ela está bonita, elogiar sua namorada daquelo corte de cabelo novo que ela fez (ou o namorado pelo desempenho na prova), elogiar seu amigo pela trabalho bem realizado. Assim poderemos fazer o dia dessa pessoa melhor, melhorando sua auto-estima e enobrecendo o seu "ego saltitante" (lembrando Benett).
Aliás "Belo texto abaixo amigo Eduardo! Parabéns!" (só faltam 4 heheh).